Capítulo I: O Primeiro Ponto

Cartas de Santa Cruz | O Primeiro Ponto

O cheiro de pão assado na hora, logo de manhã, chegava até a janela do apartamento de Marcelo, no segundo andar do Edifício Maria Antonieta. A porta lateral da padaria de Seu Afonso funcionava como seu despertador biológico, já que há anos não conseguia viver com outros tipos de alarmes. A vida, sempre inundada de adrenalina, de um investigador de polícia, não permitia tolerâncias excessivas para coisas irritantes.

Continuar lendo